Profissão: jornalismo

O que mais me agrada escrever no “Gurias Arretadas” é que apesar de cada uma ser de região, ter gostos, signo, maneiras de se expressar e profissões diferentes, conseguimos nos entender. Desse jeito torto e louco, mas conseguimos. Ou, ao menos, tentamos. Vejamos bem, eu e a Ana queremos ser jornalistas, mas eu quero ser webwriter e ela quer trabalhar em rádio ou impresso; a Day cursa Publicidade e Propaganda; a Becka é formada em Processos Gerenciais; a Lyne é a pedagoga e a Ferro é nossa futura bibliotecária. E o que nos liga é o amor pelas palavras, quer dizer, adoramos tagarelar.

Em meu blog, antes de iniciar a faculdade, escrevi um post sucinto a respeito do que eu gostaria de me tornar nessa profissão, mas já na primeira semana de aula vi que minha paixão pela comunicação vai além. Descobri que meus diários escritos na meninice me ajudaram (e muito) nessa minha dedicação em transformar o que sinto em frases, mesmo que desconexas para alguns, porém, que para mim fazem toda a diferença. Que o EEP me ajudou a libertar os monstros e a despertar meu lado crítico. Me incentivou a ler mais e, consequentemente, a opinar e a escrever mais.

Ontem, minha professora Daniella Borges, nos fez duas perguntas importantíssimas: “quais as características de um jornalista?” e “qual a função social de um comunicólogo?”. Sem falar que na primeira semana fomos massacrados com “por que você escolheu jornalismo?”. Em síntese, lhes respondo a seguir.

1. Crítico, ético, em tese ele tem que ser imparcial, persuasivo, sagaz, observador, investigador, integrador, criativo, curioso e ágil.

2. O jornalista tem a capacidade de despertar o senso crítico de seu público alvo, alertar, prevenir, informar e mostrar a verdade para a sociedade sobre os mais variados assuntos.

3. Porque acerca do que já falei ali em cima, o curso em si mostrará outros ramos que a profissão possui. Já mantenho meu blog há dois anos, então nada melhor que transformar um hobby em carreira – seria hipocrisia da minha parte dizer que não me importo com o quanto isso me renderá, mas fazer o que gosto e ganhar por fazê-lo bem são outros quinhentos.

Jornalismo nos abre portas para conhecer outros idiomas, culturas, temas e mundos. O profissional não deve conter nenhum tipo de preconceito e esquecer totalmente qualquer opinião pré-formada que possua.

Um texto que lhes indico é “A melhor profissão do mundo” de Gabriel García Márquez.

“Porque o jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade.”

10 comentários:

Geraldo de Lima disse...

De fato, a profissão de jornalista deve ser lindíssima... Na minha juventude, trabalhei como repórter amador num jornal da região onde moro (Diário de Sorocaba), mas nunca me aprofundei na área. Agora, já com mais de quarenta anos, acredito que seja um pouco tarde. Mas, ao menos posso me deleitar em ler bons textos como os publicados neste e em outros blogs. Muito sucesso a você nessa carreira fascinante!...

Jéssica Trabuco disse...

O jornalismo é uma profissão que nos faz levar um peso nas costas. Estaremos levando a informação à sociedade, então o que escrever?
Ser jornalista é ser critico, livre, corajoso, correr atrás.
É a profissão que nos faz participar ou não na melhoria do mundo. depende de nós.

Felipe disse...

Também sou estudante de jornalismo. Realmente passamos por aqueles questionamentos da primeira semana " Por que você escolheu essa profissão?"
Uma professora minha disse que quem escolhe o jornalismo não pode somente gostar de escrever e ler, tem que ir muito além disso, tem que amar, viver, respirar aquilo que escolheu para seguir. E concordo com essas palavras.
Sei que as pessoas, todas elas, têm a possibilidade de informar, mas se tem uma coisa que eu odeio e algumas delas afirmarem que qualquer um pode ser jornalista. Não é bem assim, apesar de o curso parecer relativamente fácil, o que não é uma verdade absoluta, há muitas regras para que se possa escrever, a maneira de informar, se comunicar para com os leitores. Não é tão básico quanto se imagina.

Ana Seerig disse...

Teu post me renderia horas aqui falando. No meu primeiro semestre de jornalismo foi (o que vai contra o teu item 1): não existe imparcialidade. Qualquer comentário jornalístico, histórico ou seja lá do que for, se analisado profundamente, mostrará uma opinião pessoal... Somos pessoas, não tem como ser diferente.

Quando tiver tempo vou ler sim o texto do Márquez, mas creio que minha visão será diferente da dele. Tenho uma opinião bem menos romântica do jornalismo, apesar e por estar cursando.

=)

Ana Carolina Lima Da Rosa disse...

aadorei o texto.
tenho vontade de ser jornalista.
mas não sei se levo jeito,rsrs.

Italo Stauffenberg disse...

Quando descobri que minha profissão estaria pelos lados jornalisticos da vida, lutei por isto. Irei começar esta semana a faculdade e estou hiper feliz. O jornalismo abre muitas portas em nossas vidas e com certeza, é a melhor profissão do mundo!

Clara disse...

Meu sonho é fazer faculdade de algo que eu ame e me identifique como é o seu caso... Imagino que seja bastante excitante.

Acho que você tem bem o 'humor' de jornalista, é uma pessoa de personalidade e escreve muito bem.

É uma profissão muito importante pro mundo todo, mesmo que você não vá ser propriamente uma reporter ou coisa do gênero....

Enfim, muito legal!

Tati disse...

É Ba-bi esse e o caminho, o Amor. Você demonstra através da força das suas linhas o quanto é apaixonada pelas letras e o quanto todo esse universo jornalistico te encanta, atrai, instiga e eu fico imensamente feliz por isso.

Continue, continue indo em direção aquilo que está dentro do seu coraçãozinho Moça.

Allyne Araújo disse...

Fazer as coisas com amor e ainda por cima sendo as coisas das quais gosta fazem toda a diferença.. Eu penso em fazer outro curso mais por desafio do que falta de caso pelo que eu já estou terminando, mas tudo ao tempo.. Bjoooo e muito sucesso!

Rebeca Postigo disse...

Escolher a carreira é apenas o primeiro passo...
Amar o que fazemos é bem diferente...
Unir as duas coisas é buscar algo único...
Adorei o texto!!!

Bjs