Resenha: Um amor para recordar - Nicholas Sparks

“Cada mês de abril, quando o vento sopra do mar e se mistura com o perfume de violetas, Landon Carter recorda seu último ano na High Beaufort. Isso era 1958, e Landon já tinha namorado uma ou duas meninas. Ele sempre jurou que já tinha se apaixonado antes. Certamente a última pessoa na cidade que pensava em se apaixonar era Jamie Sullivan, a filha do pastor da Igreja Batista da cidade. A menina quieta que carregava sempre uma Bíblia com seus materiais escolares. Jamie parecia contente em viver num mundo diferente dos outros adolescentes. Ela cuidava de seu pai viúvo, salvava os animais machucados, e auxiliava o orfanato local. Nenhum menino havia a convidado para sair. Nem Landon havia sonhado com isso. Em seguida, uma reviravolta do destino fez de Jamie sua parceira para o baile, e a vida de Landon Carter nunca mais foi a mesma.”
(Sinopse extraída daqui)


"Um amor para recordar" é daquele tipo de livro que faz você chorar copiosamente.
Como não se encantar pela delicadeza do amor entre Landon Carter e Jamie Sullivan?
Como não rever os próprios conceitos e ações diante da bondade tocante de Jamie?
Embora seja uma história fictícia, eu quero crer que existam no mundo pessoas como Jamie Sullivan.
Pessoas que fazem o bem, sem realmente olhar a quem. Fazem o bem pelo prazer que isso lhes proporciona. Fazem o bem porque creem que essa realmente é a coisa certa a fazer. Ser bom não dói, não é uma tarefa tão árdua assim. Ajudar as pessoas é gratificante: ficamos felizes em poder ajudá-las e elas ficam felizes em serem ajudadas.
E Jamie ensina isso a Landon Carter. Ensina o quanto é delicioso fazer a coisa certa.
Landon, que conhecia Jamie desde criança, nunca tinha a conhecido de fato, a não ser depois daquele baile, daquela peça, em que se apaixonou por ela.
Sim! Nunca pensou que se apaixonaria por Jamie Sullivan, a filha do pastor, a menina que vivia com a Bíblia na mão, que ajudava criancinhas a atravessar a rua, que tirava ervas daninhas da plantação dos vizinhos sem pedir permissão dos mesmos, a menina que ajudava as velhinhas a colocar suas compras dentro de casa, a menina que todos os adultos da cidade admiravam...
Jamie Sullivan: exemplo de vida. Jovem de alma pura e de sentimentos nobres.
Landon Carter, depois de conhecer Jamie, e ter a noção do ser humano extraordinário que ela era, não se conformou com a sua doença incurável naquela época.
Como se conformar? Jamie, tão pura, tão boa, com Leucemia? E só teria poucos meses de vida? Por quê? Isso era injusto!
Mas, como Jamie costumava dizer, talvez fossem os planos de Deus.
Planos que Jamie e Landon não entendiam... E eu confesso que também não entendo.
A única coisa que sei é que Landon Carter viveu meses lindos com Jamie, aprendeu lições valiosas, que não aprenderia com outra pessoa, nem que vivesse cem anos.
Jamie o marcou para toda a vida. É o poder do sublime amor, amor esse que liberta, que transforma e que marca a nossa vida para sempre.
Eu quero viver um amor assim!

8 comentários:

Allyne Araújo disse...

a primeira vez que assistir esse filme eu chorei tanto, mais tanto q o povo perguntou se tinha acontecido algo. É sem duvida um dos mais lindos filmes de amor q eu já assistir, um daqueles em que vc nunca se cansa de ver... Lindo post Erica! parabens! agora quanto ao livro,esse ainda nao li..

Pandora disse...

Eu não sabia que esse filme tinha vindo de um livro, todas as 10 vezes que assisti esse filme chorei até sentir uma dor (sou dramatica). Concordo com cada palavra sua, "fazer o bem não doí" e a história desse filme é sublime, agora estou louca para ler o livro!

Luna Sanchez disse...

Pensa em uma pessoa que chora.

Pois é...

Beijo, beijo.

Dayane Pereira disse...

Eu amei o filme, lindo demais, história encantadora.
Eu nem sabia que saiu de um livro, mas com certeza deu vontade de ler.

Luana Pagung disse...

Eu acabei de ganhar esse livro em uma promoção, e apesar de já o ter lido, estou ansiosa para lê-lo novamente. Romance lindo. *---*

Bisous ;**

Ana Seerig disse...

Gostei da resenha!

Te digo que só vi o filme e que, apesar da história geral ser bonita, achei um tanto exagerada. Quer dizer, não existe uma criatura tão pacífica e perfeita quanto essa guria. É meio irreal...

camilaLsilva disse...

Adorei o post, já vi o filme o livro vou começar a ler daqui a alguns minutos... Como todos que já tiveram a oportunidade de ver pelo menos o filme sabe que a lição de vida passada que mais que uma história de amor, é uma demostração como a vida pode nos surpreender e como a cada dia aprendemos mais com ela.
Eu posso dizer que me antes de conhecer o amor sabia que faltava algo, mas hoje sei amar e ser amada é a coisa mais maravilhosa do mundo.

Rebeca Postigo disse...

Já vi o filme e fiquei curiosa para ler o livro...
Ótima resenha, Ferro!!!

Bjs