Mamma Mia!

Mais um domingo preguiçoso, bem é assim que devem ser os domingos, certo??? Ok, ok!!! Não estou aqui para discutir sobre a cara que o primeiro dia da semana deveria ter, portanto me calarei. Brincadeirinha!!! Bom, deixando as piadas sem graça para outra hora... Hoje é meu dia de tagarelar sobre algo que faça um pouco de sentido por aqui. Então a dúvida me consumiu... O que vou escrever??? Coloquei a massa cinzenta para funcionar... Horas se passaram, mas a idéia veio!!! Urrruuulll!!!

Para quem não sabe, sou louca por musicais. Sim!!! Principalmente os que remetem a uma realidade avessa a minha. Assim, um dia desses estava perdida na locadora, andando pelos corredores com os olhos bem desatentos. Quando avistei “Mamma Mia!” escrito em letras garrafais na minha frente, instintivamente agarrei o DVD e fui correndo pro caixa. Cheguei em casa com a ansiedade a mil, coração disparado. Finalmente poderia desfrutar do musical mais famoso do mundo no conforto do meu sofá. Mas, deixando de lado minhas reações malucas, vamos falar um pouco sobre o filme...

Mamma Mia! conta a história de Sophie, uma garota de 20 anos prestes a se casar, que vive com a mãe, Donna Sheridan, dona de um pequeno hotel na ilha de Calicos, na Grécia, e que não conhece seu pai. Achando o diário da mãe, descobre que ela teve um relacionamento com três homens diferentes (Sam Carmichael, Bill Andersson e Harry Bright) num curto período de tempo, meses antes de seu nascimento e que pode ser filha de qualquer um dos três. Resolve então convidá-los todos para o casamento - sem que sua mãe saiba - para tentar descobrir qual deles é seu verdadeiro pai, que nem Donna sabe ao certo, e ter seu desejo, de que ele a leve ao altar, realizado. 

Nem preciso dizer que o filme nos garante boas gargalhadas, como também nos emociona. Contado através de músicas que se encaixam perfeitamente no enredo, entretanto o mais interessante é que as músicas não foram compostas para o musical. Os sucessos deixados pelo ABBA trouxeram à produtora britânica Judy Craymer a idéia de costurá-los em um musical e em 1997 ela encomenda a confecção de um livro-musical a escritora e roteirista Catherine Johnson. Resultado, mais de 42 milhões de pessoas ao redor do mundo já assistiram ao musical, que acumula uma bilheteria total internacional de U$2 bilhões desde sua estréia no West Endlondrino, em 1999, sendo o financeiramente mais bem sucedido da história. A adaptação para o cinema, entretanto só aconteceu em 2008. Contudo, nem preciso dizer que foi sucesso garantido.

Agora, porque não assistimos ao trailer??? 




Ahhh... Não preciso dizer mais nada!!! Portanto, hora de inverter o jogo... O que vocês acharam???

4 comentários:

***MissUniversoPróprio*** disse...

Delícia esse filme! E a trilha é contagiante! Ótima pedida!

=)

Ana Seerig disse...

Acho que o melhor filme musical dos últimos tempos.

Boa dica!

Allyne Araújo disse...

adorei esse filme! mais ainda pelas musicas da trilha sonora serem todas do ABBA!!! Bom demais!!!!

Dayane Pereira disse...

Tenho esse filme em casa ha muito tempo, e nao o vi ainda.. =(