Sobre meus problemas com elogios

Antes que o ano acabe gostaria de registrar um dos maiores problemas que descobri em mim em 2011: elogios.  Foi uma descoberta inesperada e que me deixou literalmente sem ação. Veja, estava no curso de alemão, divertindo-me em fingir aprender, quando a professora disse: Agora vocês vão escolher um colega e fazer um elogio a ele. O tema seria aparência, então seria um elogio a roupa ou coisa assim. E eu travei. Não consegui pensar em um elogio em português, como poderia traduzi-lo então para o alemão?
Acabei fazendo um elogio a um colega quanto a sua simpatia, e ainda saiu de arrasto. Saí de lá encucada. Pensei no meu dia a dia. Dificilmente faço um elogio a uma pessoa, deixo-os subentendidos em conversas. Quando me fazem elogios, eu simplesmente rio. Acho que é aí que está o meu problema maior, não levo fé nos elogios que me fazem. Por quê? A única conclusão a que cheguei é o fato de nunca ter recebido uma crítica bem argumentada e que me fizesse repensar tudo de uma vez. Claro, já recebi críticas, de forma leve, sugestiva, as quais usei pra me observar e mudar conforme achava necessário, mas nada do tipo: "tu é uma pessoa terrível" ou "tu é péssima nisso", o que me faz ignorar todos os elogios.
Sim, eu realmente não bato bem da cabeça, eu sei. Mas o verbo não é "ignorar", não ignoro, apenas não grito de alegria. Aí, antes de parecer egocêntrica por não me referir ao elogio, eu prefiro levar na brincadeira, o que faz com que muitos acham que eu me desmereço e que preciso de tratamento psicológico. Bom, aos analistas de plantão, tudo que tenho a dizer está aqui. A coisa é que simplesmente acho que exclui os elogios da minha rotina por não querer parecer uma puxa-saco ou uma metida por se gabar das boas palavras que recebe.
Mas meu problema maior ainda está em elogios de aparência. Não lembro de ter chamado uma pessoa de bonita ou linda de cara. Não, andei pensando e acho que antes preciso saber quem é a pessoa na verdade. Não é por uma coisa de "Não se julga as pessoas pela aparência", mas sim algo automático. Creio que isso se explica com meu histórico familiar ou mesmo com a visão de mundo que criei com o passar do tempo, qualquer uma das duas alternativas renderia uma boa terapia. O fato simplesmente é que não tenho capacidade de fazer elogios quanto a aparência nem de levar a sério os que me fazem porventura.
Essas minhas manias que me parecem tão naturais, quando descobertas me fazem crer que eu nasci no planeta errado. As pessoas gostam de elogios e eu não sou muito dada a eles. Fico pensando em quantas pessoas posso ter chateado por, aparentemente, não ter reparado numa coisa legal que tenha feito e não ter elogiado. Tenho pra mim que a melhor forma de mostrar minha admiração ou simpatia por uma pessoa é a convivência dia a dia com ela, virtual ou não, o modo de tratá-la, o modo de conversar, e não palavras soltas por vezes. Mas talvez não seja assim.
Cá tenho eu que incluir essa nova palavra no meu vocabulário para os dias que virão: elogio. Tenho que lembrar de afirmar com palavras o que eu sempre quis demonstrar por gestos; encontrar na aparência o que eu sempre admirei na personalidade; aprender a reconhecer que os elogios tem um fundo de verdade; encontrar o que não é criticado e que também não recebe elogios e mudar; tenho, enfim, que conviver com essa palavra que sempre me pareceu dispensável e ver que ela tem seu lado belo.
Peço então que me desculpem por descrença em elogios feitos, mas especialmente que desculpem não ter ouvido algum de mim. Tenham certeza, os amigos - virtuais e reais -, que são únicos e que apenas não os elogio sempre por não querer parecer uma idiota babona. Aos leitores, que passam vez ou outra os olhos por um texto meu mas com quem não converso com frequência, que seus comentários são altamente considerados quando vindos com boa fé, especialmente aqueles que sempre vêm com argumentos para sustentar o elogio ou a reprovação, vocês fazem com que eu me observe e melhore. Enfim, prometo a todos  repensar os elogios.
Agora, um último pedido de desculpas por esse texto. Ele foi escrito entre meia dúzia de diferentes conversas e sua composição foi interrompida por pelo menos uma hora (quando voltei as conversas continuaram), então provavelmente há vácuos no que foi escrito. Tentarei não mais fazer isso. De qualquer modo, valeu a tagarelação.
Ah, um último salve, a pedido da Jana, fiz o vídeo sobre a pronúncia de "Seerig". Quem tiver dúvida, por favor, veja. Prometo elogiar pronúncias corretas.
Agora, povo, até 2012. Como acho que o fim do mundo é utopia, espero que nos encontremos no próximo e nos anos que se seguem.
Fui-me. 

11 comentários:

Nati disse...

Desculpa, mas eu acho que tu não leva fé nos elogios, por talvez achar que não seja aquilo de verdade e/ou a pessoa esteja falando da boca pra fora. Acho que falta segurança.

Beijo

Pandora disse...

Ana, eu penso que vc é uma pessoa tri/massa/arretada do jeito que vc é. (ponto)

Também não dialogo bem com os elogios que são feitos a mim, não acredito em nenhum deles, então em relação a mim fique tranquila kkkkkkkk...

E sim, vc acredita que quando minhas amigas começam com a melação eu mordo e elas correm para me bater kkkkkkk E quando tão muito açucaradas chamo o povo de cocada de sál, e eu sou feliz assim \o/

Eu te gosto muito nega, ranzinza e tão atenciosa, vc entende o significado da palavra reciprocidade e o prazer de presentear, escrever uma carta, na minha pobre opinião, que eu não sei se vc deveria levar em conta, esse aspecto da sua personalidade não é um problema pq quem convive com vc sabe o que tem que saber e não precisa ficar ouvindo pq pode ver suas atitudes, sua educação, sua coerencia, boa vontade isso é o mais importante, eu acho!

Se cuida Ana, cheros e até o ano que vem aqui no Gurias, amo vcs \o/

(Eu sei, eu sou melosa, é meu defeito de fabrica certo, qualquer dia desses vou fazer um post falando sobre como é triste ser melosa...)

Babi Farias disse...

Modéstia, humildade, simplicidade e naturalidade, sinônimos que talvez insistem muito em te visitar nesses momentos. No fundo, acho que todo mundo é assim. Serve para massagear um pouco o ego, mas não aceitamos por desconfiança mesmo... Às vezes, até por questão de autoestima. A gente até quer que percebam aquela nossa qualidade e quando acontece, simplesmente, nos subestimamos. Somos bem estranhos isso sim.

Não achei que ficou desconexo seu texto, apesar da loucura que foi ontem os papos lá pelo twitter. E como este é seu último post do ano, que 2012 Seerig continue nesse ritmo de bons escritos!

Otávio Machado disse...

Não acho que você deva elogiar mais, mas medir melhor os elogios que recebe. Quero dizer, eu lembro sempre de minha professora comentando sobre isso. Eu posso ser muito inseguro em relação a tudo, mas de algum modo eu sei tudo o que me vem como qualidades e tudo o que me vem como defeitos. Também tem tudo aquilo que são só características, não servem pra bom ou ruim.
Depois de saber isso, dá pra saber bem fácil se aquilo é da boca pra fora - pode ser um elogio, também, de alguém que veja aquele seu particular "defeito" enquadrado assim por você como uma qualidade - ou é, realmente, um elogio a algo verdadeiro, que realmente está ali.
Quanto a elogios, quem está acostumado a elogiar, ou tem ele como uma parte normal de sua vida, sabe que elogiar faz parte do sentir. É botar pra fora o que você percebeu num determinado momento. Então geralmente não esperam um elogio de volta e, se recebem, ficam até sem graça.

Mas me reconheci em algumas partes do desabafo, hahaha.

Bom texto, Ana! :3 (Até comentei)
Beijos!

Christian V. Louis disse...

Eu penso que isto venha muito da criação (não estou aqui a me dispor a falar de sua vida, pois pouco sei dela, falo de forma geral), uma criança quando pouco elogiada na infância, se não tiver um incentivo de educadores ou outras pessoas maiores que o façam pelos seus pais ou responsáveis, provavelmente terá dificuldades de elogiar e, consequentemente, aceitar um elogio.
Do contrário, uma criança criada tendo seus feitos reconhecidos terá maior tendência a saber elogiar e a receber elogios.
Infelizmente, vemos mais pessoas com tendência as críticas do que aos elogios ou, usam este último como forma de concordância ou manipulação, contanto, para quem tem senso crítico não fica difícil de discernir um elogio sincero de um puxa-saquismo, visto que ambos são totalmente diferentes.
Uma coisa é inquestionável: o elogio pode ser muito importante para algumas pessoas, por vezes, basta apenas isto para complementar um incentivo que elas precisam para realizar ou dar continuidade a um feito.
Entretanto, ninguém também tem a necessidade de agradar a ninguém. Se você não sente falta disto em sua vida, seja para doar ou para receber, não vejo como problema nenhum para terapia ou coisa parecida. ahah.
Também sou cético ao fim do mundo, afinal, já passei por tantos. Então, até 2012 (aqui né, porque no twitter...)

Dayane Pereira disse...

Esta aí uma característica sua que sempre notei, mas agora ficou tudo claro. Parece que vc não acredita nos elogios pois sente que podem ser puyxação de saco, ser falsidade, sei lá, e isso faz com que vc não valorize. Mas acredite, mts elogios dirigidos à vc são sinceros sim. =D
E aprender a elogiar um pouco os outros tb é bacana, pq às vezes tem pessoas que fica esperando por isso, e não receber gera uma frustração;
Vamos lá, pode começar por mim, hahaha
Bjs

Erica Ferro disse...

Seerig, aviso logo, esse comentário vai ser gigantesco.

Tu é mesmo cabeçuda!
Começando por "divertindo-me em fingir aprender...". Quem diabos faz um curso pra fingir aprender? Para de ser modesta e diz que se dedica um bocado ao curso (tanto é que nunca faltou a uma só aula, se eu não me engano...), que sabe um tanto considerável do idioma alemão.

Seerig, você sabe como eu sou, eu gosto de dizer o que eu sinto e penso sobre as pessoas que me cercam. Por isso, não é raro que eu as elogie, que eu declare todo o apreço que sinto por elas. Não acho que para se elogiar alguém seja preciso fazer uma análise crítica de toda a pessoa. Às vezes a gente só quer dizer "puxa, cara, você tem um excelente gosto literário... Meus parabéns!" e isso não deixa de ser um elogio sincero ou um elogio de pouco valor por não ter toda uma base argumentativa.

Como você me disse certa vez em uma conversa, você sempre muito elogiada, desde a infância, raras vezes foi reprovada em algo que fez. E isso só me faz pensar que você se dedica a tudo o que faz. Se faz isso para ser sempre elogiada, só você sabe. Ou se faz, como diria a música dos Los Hermanos "Faço o melhor que só capaz, só pra viver em paz... ♫", gera elogios das pessoas que a conhecem.
No seu caso, é de se pensar que você não note o quanto realmente é boa no que faz. Porque, creia, há quem elogie só pra puxar o saco, mas, quem o faz, não faz sem razão; quem o faz está querendo conseguir algo, se promover de alguma forma. Não acredito que esse seja seu caso, filhota.

Aliás, essa mania de rir de todos os elogios que recebe é meio... irritante. Por tempos achei que você se desmerecia ou era mesmo uma pessoa que adorasse ser paparicada por sempre estar ridicularizando os elogios que recebia. Hoje prefiro achar que você tem umas características estranhíssimas e que tem mesmo sérios problemas psicológicos.

Sinceramente? Eu prefiro que as pessoas ignorem elogios a ridicularizá-los. Tudo bem, uma vez ou outra vá lá, mas sempre? Ah, isso me cansa.

Seres egocêntricos não precisam de elogios para se acharem o máximo; já se acham naturalmente.

Quanto a excluir elogios por temer que eles sejam entendidos como puxa-saquismo, é loucura também. Olhe, as pessoas são espertas o suficiente para conseguirem distinguir entre um elogio sincero e um elogio-puxa-saco.
Tudo bem que é estranho encontrar uma pessoa que a elogie a todo momento, mas há pessoas que sentem essa louca necessidade. O que se há de fazer?

Bem, eu não saio dizendo por aí "aaah, como você é lindo (a), fulano(a)!". Na verdade, eu sou uma engolidora visual de homens, como você mesma diz. Enfim, nisso eu me identifiquei com você (não na parte de engolir os homens com os olhos, mas sim de não sair chamando o povo de lindo e tal).

Não é que as pessoas GOSTEM de elogios. A verdade é que quase todas as pessoas que eu conheço sentem uma necessidade de ouvir dos outros elogios que as convença de que são realmente únicas, boas e especiais. Há quem não enxergue o próprio valor e precise de outrem pra lhe mostrar isso, mas há também as pessoas que gostam de ouvir elogios porque elas entendem isso como uma forma de carinho, de amizade e de respeito.

Veja bem, Seerig, certa vez você disse que tratava todo mundo bem, tentava ser legal com todos, até mesmo com aquelas pessoas tidas como "pé no saco". E por você ser assim, seria interessante que você elogiasse sim às pessoas que você acha que fez algo notável em um dado momento e tudo o mais, porque isso iria diferenciar quem realmente você gosta de quem você simplesmente conversa por educação, por ser legal.
Sei lá... acho que falei um monte de bobagens.
Se achar que algo do que eu disse deve ser considerado, considere, reflita sobre e, se quiser, siga alguma coisa que sugeri.

Allyne Araújo disse...

Elogios são bons. E há uma nitidez tremenda entre verdadeiros e falsos. Eu os comparo com sorrisos, e assim como estes são fazeis de detectar. Elogio nunca é ruim. As vezes a gente precisa de só um pra transformar coisas ruins em coisas boas. Pelo menos vc começou a refletir e a pensar sobre a mudança a esse respeito, e isso em si já é todo um conjunto. Bjos!!!

Fernando Viana disse...

Pois é, Aninha.

Você disse muito bem "... conviver com essa palavra, que sempre me foi dispensável, e ver que ela tem seu lado belo".

É bem isso. Um elogio, quando sincero, permeia o agrado que vai além da parte física. Ela abrange tudo o que a pessoa é. Difícil de entender? Nem tanto. Difícil dizer que aparência não é importante. Ela é. Porém, a aparência deveria ser muito mais valorizada como cuidado do que como padrão de existência.

Elogiar uma pessoa porque ela é bonita, não é fútil, mas elogiar só porque ela é bonita, isso sim é. Pois você acaba vendo que a única coisa que a pessoa pode te oferecer é a beleza que ela tem. Sem perceber que, de repente, essa pessoa tenha um coração maravilhoso, que o sorriso dela vá te fazer sorrir também, que um olhar dela vá te acolher melhor que o abraço de muitas pessoas que só o fazem por conveniência.

A seu respeito. Você é uma menina bonita, sim. Simpática, inteligente, culta e muito divertida. E isso é sua maior beleza. Ser linda por dentro e por fora.

Elogios encabulam mesmo, mas devemos saber enxergar quando eles vão além do físico ou não.

Sempre pensei que o melhor elogio vem daquelas pessoa que sabem, além dele, te fazer, também, uma boa crítica.

Beijo, e ótimo 2012 pra todos nós.

Dama de Cinzas disse...

Não é só seu post, tem posts também nos comentários... rsrs.

Bem, eu não tenho problema algum com elogios e fico feliz de perceber isso, porque já tenho problemas demais com muiiiitas outras coisas. Mas elogio, seja sobre a personalidade ou aparência, para mim é fácil fazê-los e recebê-los também.

Beijocas

Tita disse...

Olha, difícil saber o porquê dessa tua dificuldade com os elogios. Confesso que nem tinha visto problema nisso. Eu aceito a maneira de ser das pessoas. Assim como só mando beijocas para quem gosta, não fico largando elogios se noto q isso incomoda.
Mas lembrei de um papo q tive com uma prima psicóloga para quem eu contei q sempre esqueço os finais dos livros e filmes (todos!), mas q eu não via problemas nisso. Ela disse q isso é um problema sim e me falou qual era. Mas eu não lembro :)
Se essa questão do elogio está te incomodando, faça uma auto-análise para descobrir mais sobre isso. Vc não vai perder nada em conhecer mais sobre ti mesma!