Espelhos

Tudo que eu desprezo e critico no meu dia a dia são coisas que tenho visto se voltarem para mim, tal qual um bumerangue lançado, no qual sua volta é certa. Vejo um espelho diante de mim ao olhar para o próximo, e não gosto do reflexo. Não vejo a minha imagem retorcida, e sim a mim mesma em minha forma mais crua, com meus defeitos e feiuras, sem lapidações. É tudo o que tento esconder das pessoas e de mim mesma, tudo o que eu julgo embora finja ser uma pessoa justa, eu fecho os olhos para as injustiças, e assim como você ou qualquer outro não menos corrupto, também dou o meu jeitinho. Eu sou ruim, eu sou cruel, eu rio por trás, eu falo mal, eu invejo, eu sorrio só com os lábios e não com a alma, eu não me alegro de verdade com a sua vitória, eu não me importo. Eu só quero sucesso, me dar bem na vida, ter dinheiro e uma existência confortável, não me importa quem vai ser o presidente, eu vou precisar de qualquer forma matar o meu leão sozinha. Eu não sei confiar, eu não sou de confiança, meu umbigo é o centro do universo. Quero ter, quero ser, quero ostentar, e será que você também não quer? Que se dane as guerras, a desigualdade e a miséria, eu me importo é só comigo, como um animal, eu preciso sobreviver. Visto minha pele de cordeiro todos os dias, e preciso conviver socialmente com todos os outros semelhantes, mas os espelhos não me deixam mais dormir.

4 comentários:

Malú Oliveira disse...

Uau.

Postagem super sincera, I LIKE!

Allyne Araújo disse...

Acho que o melhor é ser sincera consigo e para com o mundo, se a gente é egoísta ou boa demais pelo menos os demais já sabem.. É justamente por isso que acho q não deveria ser motivo pra perder o sono, porque sempre recebemos o que damos, e consequentemente pde ser bom ou ruim.. Boa reflexão Day! bjooooooooo

Arianne Carla disse...

Temos que respeitar as pessoas como são, não é? Sinceridade no texto, hein? um beijo.

Erica Ferro disse...

Que psicopatona! hahahaha =P
Mas, apesar da "crueldade" do texto, somos todos um pouquinho assim. Não há como negar.