Filme: Amizade Colorida








Uma caça-talentos (Mila Kunis) convence um jovem criativo (Justin Timberlake) a aceitar uma proposta de trabalho em Nova York. Eles ficam amigos e a coisa começa a se complicar quando o relacionamento torna-se íntimo. Eles tentam amenizar a situação impondo uma regra: tudo não passa de atração física e qualquer emoção deverá ser deixada de lado. Mas, será que funciona impor regras ao coração?






Trailer:


Não sei se vocês sabem, mas eu adoro comédias românticas. Há quem diga que esse tipo de filme seja tudo igual, um clichê seguido de outro clichê. Confesso que até pode ser, mas, ah!, eu não resisto a sentar no sofá, colocar um filme desses que mostra um lindo casal aos trancos e barrancos até conseguir ficarem juntos e serem felizes para sempre (ou quase isso).
Ontem foi a vez de assistir Amizade Colorida, filme que eu tinha comprado há um bom tempo, mas nunca tinha tido tempo de assistir (quando tinha, esquecia de assistir). Sabe como é, sou uma pessoa extremamente dedicada à natação, então é raro ficar em casa durante a semana. Minha rotina é basicamente essa: acordo, me apronto e vou treinar. Passo o dia envolvida nisso, só volto à noite. Mas enfim, acho que falar da minha rotina não é interessante, certo?
Como eu estava dizendo, ontem, cheguei cedo do treino e resolvi assistir Amizade Colorida. Detalhe: minha amiga, Paula Frassinetti, também nadadora paralímpica, veio passar a tarde comigo. Rir sozinha assistindo a esses filmes é massa, mas quando a gente tem que alguém ao lado, rindo também, é ainda melhor. A diversão se multiplica.
Eu adorei Amizade Colorida. A história não é mirabolante. É bem simples até.
Tudo começa com o namorado de Jamie dando um passa-fora nela e a namorada de Dylan dando um pé na bunda dele. Sim, numa mesma noite, os protagonistas do filme são chutados por seus amores. Lembrando: Jamie e Dylan ainda não se conheciam. Pouco depois é que eles se conhecem, quando Jamie, que é uma espécie de caça-talentos, entra em contato com Dylan, um cara extremamente talentoso, para tentar convencê-lo a trabalhar para uma empresa como diretor de arte. A amizade entre os dois acontece naturalmente. Passam a se encontrar frenquentemente, mas, como ambos não tiveram muita sorte com seus relacionamentos anteriores, preferem não embarcar em um relacionamento sério. Decidem ser apenas amigos-coloridos.
Mas o problema é que, como na vida real, não se pode mandar no coração. E é num desses momentos de confusão de sentimentos que a amizade-colorida de Jamie e Dylan começa a se complicar.
Mas não posso contar o filme todo, né? Acho que já fiz besteira contando um pedaço dele. Se fiz aqui meio que um spoiler, perdoem-me, mas eu realmente não sei como falar de um filme sem contar um pouco dele.
Amizade Colorida é o tipo de filme que te faz rir um bocado e ao mesmo tempo te arranca suspiros. Nos dá a seguinte dica: se prestar a conhecer sinceramente o parceiro e se apresentar sem máscara, expondo-se do jeito que se é e também entendendo e respeitando a personalidade e trejeitos do outro é a melhor maneira de se relacionar amorosamente. Sem expectativas. Apenas se deixando levar pelo fluxo dos acontecimentos.
A história pode até não ser singular, mas encanta pela simplicidade, pela possibilidade de a história acontecer na vida real. É, bem, por mais que estejamos numa época em que o romantismo e os finais felizes se encontrem cada vez mais raros, penso que uma história como a do filme pode, sim, acontecer (aaai, eu quero que aconteça comigo! *-*). Para quem curte uma ótima comédia romântica, não deixe de assistir. Ah, têm umas cenas calientes, mas nada tão explícito assim. E até nessas cenas a gente ri. Incrível!
Hora de sacanear os amigos: a Paula chorou com o fim do filme. Eu ri porque ela chorou. E não, eu não chorei. Eu suspirei, claro. Mas não chorei. É que, quando a gente já leu, viu e ouviu tantas histórias bonitas e de arrancar milhares de lágrimas, a gente não consegue chorar fácil, sabe? É, ando assim, chorando com acontecimentos extremamente tocantes. Condenem-me!

*

Um abraço da @ericona.
Hasta la vista!

3 comentários:

Jeniffer Yara disse...

Awn, amo esse filme, assim como Sexo sem compromisso, que por sinal, são dois filmes muito parecidos. rs Mas enfim, gostei dele, é um clichê mostrado de forma diferente e isso me atraiu *O*
Eu não chorei no final desse filme, eu acho! hahaha' Mas chorei no final de Sexo sem compromisso :/ Você já viu esse Erica?!

Beijos
Meu outro lado

VaneZa disse...

Como é a história aí? Você gosta de comédia romântica? Sério? Não me diga! kkkkkkkkk Isso é típico das melosas. kkkkkkkkkkkk

Já ouvi falar muito desse filme, e só pelo trailer eu percebi que ia gostar, mas nem sei quando vou ter tempo de ver. Fatão!

BeijoZzz

Vinicius Gericó disse...

No começo achei que o filme seria bem fraco, mas eu gostei dele e das atuações, uma ótima comédia!

Até mais