Você me Enlouquece*

Pode ser ansiedade aquela típica sensação
de que nada faz sentido, o desejo de está contigo, e a vontade de deixa estar.

Como um tiro no pé e vendas nos
olhos. Como amor, tédio e ódio.

Eu não sei falar sério, não consigo
dizer: “te espero”. Apenas “verde e xeque-mate”.

Tudo que eu consigo é provocar,
abusar e te olhar. Demasiadamente legal, mas brincadeira séria. Você dividiu-me
em duas!

Como eu posso resistir? Como posso ao
menos cogitar esta idéia?

No meu acordo: “nada de meu bem e
amorzinho”... Mas, você me faz perder os ideais.

Puro instinto, mania de conquistar. Depois
eu me arrependo, e tento compreender.

Agora chegar!

Me leva daqui..

Me faça sorrir..

Me faça ser!

*E me dou o direito de contradizer...


Pessoas!!! A Allyne está enrolada e não vai conseguir postar hoje... Por isso ela me pediu pra revirar o blog dela encontrar algo pra postar por aqui... Trabalho difícil, hein!!! Ela tem inúmeros textos incríveis... Mas, eis que achei esse poema... Foi publicado originalmente no dia 14 de outubro de 2011... Gostaram?! Eu particularmente, amei!!! Como sempre, né!!! Sou suspeita pra falar alguma coisa... Bom... Recado dado... Portanto me vou... Beijinho, beijinho... Tchau, tchau...

3 comentários:

Aleska disse...

Muito bacana esse poema. é assim mesmo quando a gente arrasta um caminhão por alguém.

Iza disse...

Legal esse poema!!
Foi você quem escreveu?
Se foi, parabéns!!!
Beijão <3

Erica Ferro disse...

Isso aí é paixão louca e desenfreada. Sei como é! hahaha