E começamos 2012...

"Vamos parar com essa baboseira de ano novo, vida nova. É só a continuação do que tu vens fazendo durante toda tua vida. Se precisa haver uma mudança, não precisa esperar dia 1º. 
Pode começar hoje."
(Diego Floreio, músico admirável, no facebook)

Não sou daquelas pessoas que se emociona com a chegada do fim de ano. Há algum tempo que o Natal me desencantou e, bom, nunca entendi as simpatias de virada de ano. Será mesmo que a cor da minha calcinha, sementes de uva ou lentilha vão afetar no ano que virá? Nunca vi uma lógica nisso que me desse uma resposta afirmativa pra justificar essas manias. Nem mesmo o "Ah, eu não acredito, mas fazer também não deve fazer mal" me fez realmente desejar fazer outra coisa na virada de ano que não fosse dormir (coisa que consegui fazer na virada de 2010-2011). Minha participação em jantas de Natal e virada de ano são puramente aparentes pra não ouvir reclamação familiar ou ser acusada de antissocial, não por real interesse. Acredito mais que o aniversário de cada um seja uma "virada" mais importante que a do fim de cada 31 de dezembro.
Estou pouco ligando para o que tu fez nessa virada de ano, as promessas que fez a si mesmo ou o seu desejo maior. Tudo isso me parece extremamente tosco. Quem me conhece sabe que defendo uma coisa: personalidade. Tal palavra, pra mim, abrange muita coisa, dentre as quais a coragem pra mudar. Lamento se decepciono alguém, mas promessas de ano novo são mais por aparência do que reais. Como disse o Floreio, e por isso eu fiz questão de colocar a frase dele no topo desse post, se tu quer mudar algo na tua vida, não precisa da virada do ano, precisa de coragem. Mudar não é fácil, sabemos, mas prometer no último dia do ano que mudará no próximo não simplifica a coisa. Como sempre diz meu pai: "Não deixe pra amanhã o que você pode fazer hoje". Pois bem, por que esperar o ano virar? Se é 30 de dezembro e descobri que algo não me agrada, melhor é colocar de imediato a mudança em prática e não esperar "pelo dia certo, pra fazer a promessa certa e mudar no tempo certo". 
Também não me atrai esses planos de onde passar o ano novo (aliás, por que algumas pessoas escrevem Ano Novo, que grande diferença há nessas duas palavras juntas, que quando separadas iniciam com letras minúsculas, para que mereçam começar com letra maiúscula?). Qual é a grande graça de, por exemplo, se meter numa multidão claustrofóbica em Copacabana pra ver fogos de artifício que, pra mim, são mais sinônimo de barulho do que de beleza? Não, agradecida, dispenso. Prefiro mil vezes ficar dormindo ou, ao menos, ficar tranquilamente em casa com família/amigos ou mesmo sozinha ouvindo uma boa música e mentalizando coisas que me soam agradáveis. Mas isso é impossível, por diversos motivos, dentre os quais inúmeros caxienses que acham emocionante soltar inúmeros foguetes ensurdecedores.
Em resumo, acho essa comemoração início de ano tola. Não comemore a virada de ano por uma questão de valorização da vida ou da tua sobrevivência, valorize o teu dia a dia e aproveite-o da melhor maneira possível. Não espere que o ano termine pra admitir erros, admita-os a qualquer momento e busque regenerar-se deles o mais rápido possível. Não lembre dos grandes amigos apenas na hora de mandar mensagens de fim de ano, lembre-se deles quando acontece algo bom na tua vida e que eles adorariam saber. É o que tu faz e quem tu é que influência no teu futuro, não a cor da roupa que tu está usando quando o ano vira, nem as sementes que tu come ou carrega na carteira.
Não, isso não é um post de mensagem de começo de ano, isso é um post desabafo mesmo. Como disse o querido e que tanto admiro Diego "Floreio" Dias, "vamos parar com a baboseira", né? 

3 comentários:

Ana Carolina Lima Da Rosa disse...

Gostei do texto.
Sinceramente o natal, já perdeu sua exencia, a algum tempo, o ano novo, nem é, tão esperado.
A penas pelo fato,de não estarmos animadas. É apenas mais, um ano que começou. Chega desta baboseiras, de cor de roupa, calcinha, crenças, lentilhas, nada adianta e muito menos muda algo no seu ano.
Pois a mudança tem que vir de nós mesmos.
E do que adianta a cada virada de ano, prometer mil e uma coisa, sendo que na verdade não vai cumprir nenhum terço;
Não faço, promessas, só desejo que 2012 seja um ano feliz, cheio de realização, sonhos, alegria, novas amizades, menos falsidade, menos tristeza, etc.
E que nós blogueiras seguimos fazendo sucesso, com nossos blogs, e fazendo o que nós faz bem :P E feliz 2012.

Christian V. Louis disse...

Gosto de uvas e de lentilhas, mas isto de simpatias realmente não passa de balela e acho até graça naqueles que acreditam e levam a sério.
Ao contrário de você, para mim nem aniversário significa grande coisa, é só mais uma data, um dia como qualquer outro, a vida se faz a cada dia, como disse o autor citado.
Penso que o Ano Novo (creio que se escreva com letra maiúscula por ter acabado se tornando o título de uma data comemorativa) impulsione algumas pessoas a fazer um balanço de suas vidas e procurar atingir novas metas, não sou contra, aprendi que por vezes marcar datas nos organiza melhor, o ruim é quando fica só nisto e também no aborrecimento da hipocrisia entre familiares, amigos, entre outros.
Só não sei como você consegue dormir com fogos ensurdecedores. ahah.

Erica Ferro disse...

Eh bien, não acho bobagem comemorar o fim de ano. Acho bobagem traçar metas e fazer promessas SÓ no fim de ano. Acho besteira pessoas acharem que as coisas vão mudar só porque está chegando um novo ano. Mas se eu tenho coisas a comemorar, se o ano foi ótimo, por que não comemorar? Sim, comemoremos! Mas sobretudo vivamos intensamente todos os dias. Todos.


:D