TAlvez não seja, esteja.


"Posso explicar muitas coisas, mas não posso explicar a mim mesma."
Alice (Aquela do país)


Sou mais silêncio que palavra. Mais escutar do que falar.
Sou mais livro do que filme, mais romance que ficção.
Sou mais exportado que nacional. Sou mais vinho que wisk.
Sou mais Mozart que Bach, mais Bethoven que Mozart.
Sou mais 80 que 50, mais 70 que 80.
Sou mais Lennon que Macartney. Sou mais quitarra que vocal.
Sou mais Nietzsche que Shakespeare, mais racionalista que empirista.
Sou mais abstrata que concreta.
Sou mais disco que Cd, mais Pc do que Tv.

Sou mais o sono, o pesar, o resmungar.
Sou mais o rústico, o vintage.
Sou mais o querer, do que fazer.
Sou mais noite do que dia, mais o pôr que o nascer do sol.
Sou mais olhar que sorriso, mais abraçar do que beijar.
Sou mais Burton que Almodovar.
Sou mais Alasca que Caribe.
Sou mais Clarice que Cora.
Sou mais carta que e-mail. Mais óculos que lentes.

Sou mais o medo, o talvez, a espera. O duvidar, mas não questionar.
Sou mais minha. Individual, o ser só.

E talvez não seja, apenas esteja. 




Repostagem do Penso, Logo... Blogo!

1 comentários:

Erica Ferro disse...

Que legal! Adorei essa repostagem. ;)

Eu também -> *Sou mais Lennon que Macartney.
* Sou mais Clarice que Cora.

:*