O mundo não é adivinho


O papo de hoje será bem rápido, leitor(a). Sem poesia. Sem rodeios. Papo extremamente curto, reto e direto. É mais uma reflexão. É algo que eu venho percebendo a eficácia nos últimos meses. Do que estou falando? De se falar o que pensa, exatamente como se pensa, seja pra quem for, seja qual for o assunto. O assunto é de amor, de dor, de raiva, de saudade, de medo? Fale. Não, não importa nada. Apenas fale, porque não despejar coisas que ficam martelando na nossa cabeça e no nosso coração por medo ou, por sei lá o que, é a maior bobagem que há nessa vida. Uma bobagem que só prejudica a quem fica calado engasgado. Não, eu nunca fui de esconder o que eu penso, mas sempre fui de pensar demais e me demorava demais pra chegar a falar certas coisas, o que, notavelmente, me fazia mal. E quando a gente pensa demais, começa a endoidar, porque a gente cria mil e uma teoria, surgem mil e uma paranoia. Sim, sempre mil e uma. Ou mais. Não entendo de matemática, sempre me perco nas contas. 
Mas enfim, o fato é: se você é como eu, pessoa que pensa demais em tudo e se em alguns momentos você acha que deve falar o que se passa dentro de você, mas parece que não é o correto a fazer e você não sabe bem o porquê, fale. Fale, porque pensamentos que ficam presos na cabeça só geram dor de cabeça e preocupação. E, alguns casos, loucura. Fale, porque sentimentos que ficam aprisionados dentro do coração, loucos pra saírem goela a fora, só fazem mal ao músculo pulsante e ao espírito.
O que eu quero dizer com tudo isso de "fale, fale, fale"? Por que esse papo? Porque eu sei que muita gente sofre por esconder coisas que não deveriam ser escondidas. Porque eu sei que uma das maneiras de uma criatura ser feliz é sendo sincera consigo mesma e com o mundo. Ser sincero inclui dizer o que pensa, dizer o que sente, dizer o que quer. Porque ninguém adivinhará o que eu penso, o que eu sinto e o que eu quero se eu não verbalizo isso, concorda? E quanto mais rápido a gente entende isso e fala, mais rápido se obtém a tranquilidade.
Não morra engasgado(a). Verbalize. A sensação pós-verbalização é de liberdade, de tranquilidade. E por que não dizer de felicidade?

• • • 
Um abraço da @ericona.
Hasta la vista!

3 comentários:

Ana Seerig disse...

Minuto de reflexão com Erica Ferro evoluída.

Atenção, senhores, ela tem experiência no assunto. Prestem atenção ao que ela diz.

Dama de Cinzas disse...

Eu penso demais e cometo sincericídio a todo momento. Falo pouco, mas também quando abro a boca, nossa, tem horas que me arrependo. É estranho porque penso demais antes de falar amenidades e coisas desnecessárias, mas quando a pessoa me irrita, daí despejo tudo. Um horror.. rs

Beijocas

Allyne Araújo disse...

Isso é o certo mesmo! calar e se autonegar são coisas q deveriam sair do nosso eu definitivamente.. bjosss.