Moça,

Moça, abaixe mais esse nariz.
Essa sua empáfia me causa náuseas.

Moça, você acha que sabe de tudo?
Acha que mesmo que tem arcabouço para
detonar tudo e todos?

Moça, quem você acha que é?
Uma grande mulher?

Moça, ninguém te disse ainda
que, vez ou outra, você erra a mão
e acaba pegando pesado com
suas frases de efeito e textos
deliberadamente polêmicos?

Moça, você se vê perfeita,
esperta demais.
Mas, deixe-me dizer, você está 
mais perdida do que andorinha
no inverno.

Moça, seu falar é tedioso ao mesmo
tempo que é irritante.

Moça, o conselho que lhe dou é:
se vanglorie menos do que acha que é e
 passe a realmente ser algo relevante.

Não se esqueça, moça:
quem hoje fere, amanhã será ferido.
Portanto, aprenda a medir o peso
do que diz e faz, 
para que depois não pese para você
em forma de protesto, perda de amigos
e risos.

(Erica Ferro)

• • • 
Um abraço da @ericona.

1 comentários:

O que tem na nossa estante disse...

De todas as coisas que pesam o pior é o riso quando ele vem com o escarnio... Pobre moça, tão humana em suas fraquezas, ultimamente eu tenho feito tantas coisas erradas que me identifico até com essa moça do poema... Bela forma de se expressar Erica, você anda muito poética ultimamente.

Pandora.