Quase uma volta completa

A neve que me recebeu aqui e que voltou pra dar fim ao ano

E o inverno chegou outra vez na Alemanha. A neve também. O mesmo clima que me recebeu em janeiro. Já são os últimos dias de novembro e, antes que o ano vire, estarei no Brasil.Vai-se um ano, fecha-se um ciclo, acaba-se um período. 

O engraçado é pensar que quando saí do Brasil um ano parecia demais, hoje parece ter sido pouco e logo mais parecerá ter sido nada. Provavelmente um dia acordarei com a sensação que meu tempo em terras germânicas foi quase que um sonho, especialmente se a rotina me pegar logo e me fizer deixar de lado coisas que hoje desejo fazer na minha volta, como conhecer nosso gigantesco país enquanto conheço amigos virtuais. 

Felizmente restam as fotos (nunca bati tantas em tão pouco tempo na minha vida) e, espero, permaneçam as amizades feitas (mesmo que à distância) para me lembrar desses tempos por aqui, das histórias engraçadas e das absurdas, para me fazer rir ou me consolar de alguma coisa.

Mas quando eu penso no meu ano passado tudo parece tão longe. Saí de lá achando impossível ficar sem algumas pessoas queridas que me acompanharam sempre e então é uma mistura de admiração por ter conseguido e de vontade de voltar logo. Vontade mesmo do que eu não dava tanto valor ou nem fazia muito, como um bom churrasco, um friozinho pra me enrolar nas cobertas no fim de semana e ver um filme, ou mesmo tomar chimarrão e jogar conversa fora. 

E o planejamento pro retorno? O receio de esquecer de pôr em prática as ideias que tive por aqui ou mesmo de chegar e ver que imaginei tudo demais. Sem falar nas diferenças do que deixei pra trás e do que vou encontrar. E em quem vou reencontrar. 

A única coisa que tenho por certa é que um tempo importante pra mim está chegando ao fim, um tempo que teve mais coisas boas do que ruins - mais talvez do que eu merecia. Logo mais volto "ao mundo real", só espero, como os alemães me recomendam, não deixar de repassar e melhorar o que aprendi aqui.  E que venha uma nova fase, com suas coisas boas e desafios. 

4 comentários:

Allyne Araújo disse...

Eu falava disso hj mesmo com a minha mãe. Em como vc e meu irmão, que não vem em casa a um ano tb, devem esta loucos pra chegar as suas casas e vê como tudo tem andado. É engraçado como tudo se transforma em sonho depois, e de como andamos tão longe e nos imaginamos tão perto. rsrsssr... Tem um livro/série, nem lembro agora, que diz "não há lugar melhor do que o nosso lar", eu acho q lar é aquele de onde a gente sente mais falta, e de onde vagamente sentimos as horas passando. Beijoooo!

Ana de Geo disse...

Que seja suave. Ciclos são bons. Nos ensinam a mudar. Beijos.

O que tem na nossa estante disse...

Ver a neve faz pensar que tudo termina como começou, mas não é bem assim a gente sabe!!! Foi massa acompanhar tua jornada Ana, espero que uma vez em casa você se sinta mais forte para enfrentar os desafios do cotidiano, embora força é uma coisa que parece sobrar em você.


Ah, o que tenho a mais a dizer... Aaah esqueci... Lembrei, também tenho por meta conhecer o Brasil tanto quanto for possível, comecei mais ou menos com a sua idade e estou longe de concluir meu projeto, mas acho que ele vale muito a pena então continuo.

O que tem na nossa estante disse...

P.S.: Pandora.