Um pouco sobre amor

Ela não escondia o apreço que sentia por ele. E ele percebeu, tão logo foi possível, as palavras que ela colocava propositalmente em cada cantinho do caminho dele. Ele sabia bem que ela gostava um bocado dele, mas não deixava transparecer isso em seus gestos e palavras. Ele apenas mantinha uma distância segura dela. Era reticente e extremamente reservado. Educado sempre, mas muito inacessível.
Ela não entendia por que ele era tão curto em suas respostas, tão escorregadio em seus encontros maquinados por ela com tanto empenho. Ela não entendia, e isso a deprimia. Ela queria perguntar, abertamente, se haveria alguma chance de os dois, sei lá, serem um só, não pra sempre, mas pelo tempo que fosse bonito. Mas tinha medo. Tinha medo de um não.
Ele também tinha medo. Ele não entendia como aquela moça se apaixonou tão rapidamente por ele. Ele não entendia, suspeitava que era só fogo de palha, que não era paixão, que não podia ser amor. Ele não precisava de mais uma paixão pra sua coleção. Ele queria algo que durasse, e duvidava que aquela moça pudesse ser o amor da sua vida.
Em meio a tantos receios, ele perdia de conhecer a moça que, se ele a visualizasse em sua totalidade, poderia ser o amor da sua vida, e ela via o amor da sua vida recuar cada vez mais, dia a após dia, do seu campo de visão.
O amor é complicado. O ser humano, mais ainda.

Erica Ferro

• • •
Um abraço da @ericona.
Hasta la vista!

4 comentários:

Nati disse...

O ser humano que complica o amor, porque ele é simples de viver e sentir, desde que não seja platônico, óbvio. haha Beijos

Fan Page Mundo de Nati
Mundo de Nati

Nati disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pandora disse...

E o que eu faço quando adoro esses teus texto ein dona Erica?!?!? Amo muito tudo isso!!!

Allyne Araújo disse...

Ai, isso me lembrou um quase namoro que tive há algum tempo atrás. Muito bom! bjo